NOSSAS DICAS

TESTE DO OLHINHO

Exame simples, rápido e indolor que é um direito de seu filho.


img24

O teste do reflexo vermelho ou teste do olhinho é um exame simples, rápido e de baixo custo, que pode ser realizado em bebes recém nascidos, assim como em crianças maiores durante a consulta pediátrica. Seu objetivo é a detecção precoce de problemas oculares congênitos ou adquiridos que comprometem a transparência dos meios oculares e que podem impedir o desenvolvimento visual e causar baixa visão ou cegueira.

No Brasil, a Organização Mundial de Saúde, estima que 33 mil crianças são cegas por doenças oculares que poderiam ter sido evitadas ou tratadas precocemente e que pelo menos 100 mil têm alguma deficiência visual. Esse teste visa justamente minimizar esses números. Alguns estados e cidades brasileiras já têm legislação que exige a realização do Teste do Olhinho, em Belém a lei foi sancionada em outubro de 2011 (Lei nº8.884)

Para a realização do teste do olhinho é utilizada uma fonte de luz de um aparelho chamado oftalmoscópio direto para se observar o reflexo que vem das pupilas da criança, sem uso prévio de colírios. O reflexo vermelho normal (em tons de vermelho ou laranja, dependendo da incidência de luz e da pigmentação da retina) significa que as principais estruturas do olho (córnea, câmara anterior, íris, pupila, cristalino, humor vítreo) estão transparentes, permitindo que haja formação de imagem na retina e consequentemente desenvolvimento da função visual normal.

            A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica e o ministério da saúde recomenda que todos os nascidos devem ser submetidos ao teste antes da alta da maternidade e, pelo menos, duas a três vezes ao ano, nos três primeiros anos de vida. Uma vez detectada qualquer alteração, o neonato precisa ser encaminhado para esclarecimento diagnóstico e conduta precoce em unidade especializada.  Sugere também que seja realizado uma vez ao ano do 3º ao 5º ano de vida para detecção de doenças oculares adquiridas.

Este exame permite o diagnóstico precoce de doenças como a catarata congênita, o glaucoma congênito, malformações no segmento anterior do olho, anisometropias (diferença entre os graus dos dois olhos), hemorragia ou inflamação no vítreo (uma espécie de gel que preenche o olho), e algumas vezes tumores ou lesões intraoculares grandes. Se houver, portanto, alteração do reflexo vermelho, ou mesmo uma assimetria entre os reflexos dos dois olhos, a criança deverá ser encaminhada para um exame oftalmológico mais detalhado, incluindo o mapeamento de retina.

O mapeamento de retina é um exame realizado após a dilatação das pupilas com uso de colírios diluídos para uso específico de recém nascidos. É indicado quando o reflexo vermelho está alterado ou anormal, e para bebês prematuros e com baixo peso ao nascer.

É fundamental que recém nascidos prematuros (<35 sem) e/ou que nasceram com baixo peso (<1.500g) sejam encaminhados para um oftalmologista especializado em retina ou oftalmologia pediátrica para ser submetido ao mapeamento de retina, no intuito de detectar a presença de retinopatia da prematuridade, uma doença grave que pode afetar a retina desses e, se não tratada, pode levar a cegueira.

            Devem, da mesma forma, ser encaminhados para avaliação mais completa com oftalmologista, recém nascidos com história familiar de alterações oftalmológicas, como cegueira, catarata congênita, retinoblastoma, glaucoma congênito, altas ametropias (óculos com graus muito fortes);  quando houver história de infecção durante a gestação como toxoplasmose, herpes, sífilis, rubéola, citomegalovírus e, mais recentemente pelo zika; e quando o bebê apresentar alguma síndrome como, por exemplo, a sídrome de Down, uma vez que estas crianças apresentam riscos maiores de catarata congênita e outras doenças oculares.

Estima-se que no Brasil 330 mil crianças em idade escolar apresentem problemas de refração que podem interferir em seu desempenho diário (problemas de aprendizado, auto-estima e de inserção social). Por isso, além do teste do olhinho, ao menos um  exame oftalmológico completo com oftalmologista, incluindo exame acuidade visual, refracional (avaliação de grau), biomicroscopia e mapeamento de retina deve ser realizado durante o primeiro ano de vida, mesmo que a criança não manifeste sintomas oculares e não tenha história familiar de doenças oftalmológicas.

Mais da metade das doenças oculares na infância são preveníveis ou tratáveis, por isso cuide dos olhinhos do seu bebê, a visão dele depende disso.

 

Dra. Luciana Negrão Almeida Morais

Médica Oftalmologista.

Fellow - Ship em Oftalmopediatria (UNIFESP).

CRM-PA: 8860.


img23

DERMATOCÁLASE

O excesso de pele nas pálpebras pode levar a queixas estéticas e funcionais.

Saiba Mais

Saiba Mais
img23

O IMPACTO DAS TECNOLOGIAS NA SAÚDE OCULAR

O uso constante e cada vez mais precoce das telas (Tv, computador, tablet e celular) tem contribuído cada vez mais para o aparecimento de sinais e sintomas oculares.

Saiba Mais

Saiba Mais
img23

CIRURGIA PLÁSTICA OCULAR.

A oftalmologia dos anexos dos olhos.

Saiba Mais

Saiba Mais


Fale Conosco

Dúvidas ou sugestões entre em contato.

Fale com a gente