NOSSAS DICAS

O DIABETES E A RETINOPATIA DIABÉTICA

Todo paciente diabético deve fazer acompanhamento médico oftalmológico pelo menos uma vez ao ano.


img24

O DIABETES E A RETINOPATIA DIABÉTICA

 

 

O “diabetes mellitus”, doença conhecida como diabetes, afeta de 1 a 3 % de toda a população mundial e está relacionado ao metabolismo do açúcar, devido ao fato do portador não ter a capacidade de usar e/ou estocar açúcar. O diabetes incide desde o nascimento até a velhice. Com o aumento da expectativa de vida, surgiu um fato preocupante: o aumento do número de diabéticos e o aparecimento de complicações devidas ao diabetes.

No Brasil estima-se que existam 13,4 milhões de diabéticos tipo 1 e tipo 2, sendo que metade desses doentes desconhecem o problema.

Os olhos podem ser seriamente afetados, da mesma forma que os rins, o sistema circulatório e o sistema nervoso. Nos olhos, o diabetes afeta principalmente a retina, responsável pelo maior número de casos de cegueira adulta no Brasil e no mundo. Pode favorecer também o aparecimento de outras doenças oculares, como catarata e glaucoma. Aproximadamente 90% dos diabéticos tipo 1 e 60% dos diabéticos tipo 2 irão apresentar, em alguma fase de sua vida, a retinopatia diabética.

            Com o excesso prolongado de açúcar no sangue, os vasos sanguíneos da retina se deterioram se tornando mais permeáveis, possibilitando o extravasamento de sangue e fluido: o chamado edema. Como consequência, o portador da retinopatia diabética pode, inicialmente, perceber um embaçamento da visão e a condição pode progredir para a perda parcial ou mesmo total da visão. Exames oftalmológicos rotineiros (como o mapeamento de retina) podem detectar anormalidades em estágios primários, o que possibilita o tratamento ainda na fase inicial do problema. Hoje, o edema macular diabético é a principal causa de cegueira em pessoas com idade produtiva em países desenvolvidos.

 

TIPOS DE RETINOPATIA DIABÉTICA

 

  1. NÃO PROLIFERATIVA
  2. PROLIFERATIVA

 

A retinopatia diabética não proliferativa (RDNP) apresenta-se em estágios:

A retinopatia diabética proliferativa (RDP) é a etapa mais avançada da retinopatia diabética tendo como característica principal a neovascularização e consequentemente hemorragias, fibrose e descolamento de retina (predominando o tipo tracional)

 

SINTOMATOLOGIA

 

A retinopatia diabética é uma doença silenciosa em que podem passar anos sem que o paciente sinta alterações no campo visual. Esta alterações  já podem indicar um estágio avançado da doença, muitas vezes tarde demais para recuperar a porcentagem de visão perdida. Quando os sintomas se iniciam, estes podem incluir:

 

 

DIAGNÓSTICO

 

O exame mais comum e indicado para o diagnóstico da retinopatia diabética é o mapeamento de retina, realizado por um oftalmologista. Neste exame, a pupila do paciente é dilatada para averiguação de anomalias vasculares, edemas, hemorragias, exsudatos duros e algodonosos, microaneurismas e neovasos.

Outros exames complementares incluem fotografias da retina (retinografia simples, angiografia fluorescente e tomografia de coerência óptica)

 

TRATAMENTO

 

O tratamento da retinopatia depende do estágio da doença. Nos estágios iniciais da retinopatia diabética não proliferativa o tratamento tem como foco reduzir o edema retiniano (fotocoagulação a laser). Nos estágios intermediários o uso de anti-angiogênicos está indicado para a retirada do líquido acumulado na retina. Já na retinopatia diabética proliferativa o tratamento se torna mais delicado sendo necessário intervenção cirúrgica intraocular (vitrectomia, aplicação dos anti-angiogênicos e fotocoagulação a laser de forma mais intensa e em maior número).

 

 

 

Dr. VALTER RESENDE DE PAIVA

 

Médico Oftalmologista.

 

Fellow-Ship em Retina e Vítreo (ISOB-DF)

 

Crm-Pa: 6792

 


img23

TUDO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE LENTES DE CONTATO

Lentes de contato são pequenas lentes que se colocam na frente da superfície ocular, sobre um dos tecidos mais delicados do nosso corpo: a córnea.

Saiba Mais

Saiba Mais
img23

"DERRAME OCULAR" X SAÚDE DO CORPO

Saiba tudo sobre este frequente sinal ocular que pode dizer muito sobre sua saúde em geral!

Saiba Mais

Saiba Mais
img23

O IMPACTO DAS TECNOLOGIAS NA SAÚDE OCULAR

O uso constante e cada vez mais precoce das telas (Tv, computador, tablet e celular) tem contribuído cada vez mais para o aparecimento de sinais e sintomas oculares.

Saiba Mais

Saiba Mais


Fale Conosco

Dúvidas ou sugestões entre em contato.

Fale com a gente