NOSSAS DICAS

CONJUNTIVITE INFECCIOSA

Olho vermelho associado a ardor e secreção pode ser uma infecção ocular.


img24

CONJUNTIVITE INFECCIOSA

Entende-se por conjuntivite qualquer inflamação da conjuntiva, apresentando-se caracteristicamente com olho vermelho. A sinais e sintomas incluem: vermelhidão, ardor, dor, lacrimejamento, secreção, sensação de corpo estranho e fotofobia. A conjuntivite é classificada em aguda (inferior a 4 semanas de duração) ou crônica (a partir de 4 semanas de duração); e em infecciosa (viral, bacteriana e fúngicas) e não infecciosa (alérgica e não-alérgica).

Aqui falaremos das conjuntivites infecciosas.

conjuntivite infecciosa é causada por vírusbactérias e fungos e é altamente contagiosa. Neste caso, o contágio ocorre por contato, sendo facilmente disseminada em ambientes fechados com pessoas contaminadas, uso de objetos contaminados, contato direto com pessoas contaminadas ou até mesmo por meio da água da piscina contaminada. Casos de epidemias de conjuntivite são do tipo infecciosa.

Comumente, a conjuntivite viral (80% dos casos) tem como principal agente etiológico o adenovirus, mas também pode ser causada por um enterovírus tipo 70 e coxsackie A4 (conjuntivites hemorrágicas). O período de incubação é de 5-12 dias, sendo a infecção autolimitada. Após a recuperação, imunocompetentes estarão imunes contra o sorotipo infectante. O diagnóstico é alcançado por meio do quadro clínico apresentado pelo paciente e não há tratamento específico, apesar de haver benefício com uso de colírios lubrificantes e compressas frias. Deve-se alertar o paciente a não compartilhar objetos de uso pessoal e permanecer em casa até que não haja mais secreção. O vírus é capaz de propagar-se até 14 dias após o início da sintomatologia.

A conjuntivite bacteriana é caracterizada pela presença de secreção purulenta e, normalmente, tem como agente etiológico o Streptococcus pneumoniaeStaphylococcus aureus e Haemophilus influenzae. Acomete indivíduos cujos mecanismos de defesa ocular encontram-se deficientes. Os principais fatores de risco são alterações da integridade da conjuntiva e da secreção lacrimal. O tratamento consiste no uso de antibióticos tópicos de amplo espectro de ação. Existe também um tipo de conjuntivite denominada gonocócica, que possui apresentação hiperaguda e com secreção purulente grave. O agente etiológico é a Neisseria gonorrhoeae, uma bactéria transmitida através do ato sexual. Também pode ser transmitida no momento do parto, mas esta forma de transmissão é infrequente, uma vez que costuma-se administrar uma gota de nitrato de prata 1% no saco conjuntival do recém-nascido. O tratamento é feito por meio do uso de antibióticos sistêmicos e oculares.

A conjuntivite de inclusão, que tem como agente etiológico a Chlamydia trachomatis sorotipo D-K, encontrada no trato genital de indivíduos adultos. Costuma afetar jovens sexualmente ativos. O tratamento consiste no uso de antibióticos, como a azitromicina ou doxiciclina.

A conjuntivite fúngica raramente é observada, ocorrendo mais comumente em casos de acidentes oculares envolvendo pedaços de madeira e lentes de contato.

A sintomatologia é praticamente a mesma para todos os casos de conjuntivite infecciosa. Dentre os sintomas, observa-se: olho vermelho, prurido ocular, lacrimejamento, fotossensibilidade, presença de secreção branca ou amarelada (casos de conjuntivite causada por bactéria). Também pode haver a presença de febre, amigdalite e dores pelo corpo.

Apenas o médico oftalmologista é capacitado e legalmente habilitado para diagnosticar e tratar conjuntivite infecciosa. O paciente: não deve se automedicar, não pode usar colirios que foram usados em tratamentos anteriores, evitar levar as mãos ao olhos, deve constantemente lavar bem as mãos com água e sabão, limpar os olhos apenas com lenço de papel descartável e não deve usar o mesmo para os dois olhos, trocar pela manhã roupa de cama e toalha e fazer bastante compressa e lavagem dos olhos com água gelada filtrada ou fervida.

 

 

1) Dr. Valter Resende de Paiva.

Oftalmologista (CRM-PA: 6792).

2)Dr.  Ângelo de Carvalho Leite.

Oftalmologista (CRM-PA: 6120).

3) Dr. Carlos Henrique V. de Lima.

Oftalmologista (CRM-PA: 7967).

 


img23

TESTE DO OLHINHO

Exame simples, rápido e indolor que é um direito de seu filho.

Saiba Mais

Saiba Mais
img23

"DERRAME OCULAR" X SAÚDE DO CORPO

Saiba tudo sobre este frequente sinal ocular que pode dizer muito sobre sua saúde em geral!

Saiba Mais

Saiba Mais
img23

Ceratocone

O melhor tratamento está no diagnóstico precoce desta patologia ocular

Saiba Mais

Saiba Mais


Fale Conosco

Dúvidas ou sugestões entre em contato.

Fale com a gente